Aprovações do BNDES crescem 27% em 2018

01/02/2019

Total aprovado para novos financiamentos no ano passado foi de R$ 94,9 bilhões. Desembolsos no período ficaram em R$ 69,3 bi. Setor de infraestrutura foi destaque no desempenho anual, com crescimento de 13% nos desembolsos (R$ 30,4 bi) e 60% nas aprovações (R$ 47,6 bi). Micro, pequenas e médias empresas receberam 44,7% do total liberado pelo Banco, maior percentual da série histórica.

As aprovações de novos financiamentos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) cresceram 27% entre janeiro e dezembro de 2018 em comparação com o mesmo período de 2017 e totalizaram R$ 94,9 bilhões. No período, os desembolsos foram de R$ 69,3 bilhões (-2%), e as consultas (primeira etapa de um pedido de financiamento no Banco) ficaram estáveis em R$ 98,8 bilhões.

O setor de destaque entre as aprovações em 2018 foi o de infraestrutura, com um desempenho 60% maior que o observado em 2017 e um total de R$ 47,6 bilhões, pouco mais de 50% das aprovações no ano. A seguir, vêm os setores de agropecuária e industrial, cujas aprovações cresceram, respectivamente, 10% e 5% em comparação com 2017, e o setor de comércio e serviços, que variou -3% em relação ao ano passado.

Desembolsos – Do total de R$ 69,3 bilhões liberados pelo BNDES entre janeiro e dezembro de 2018, R$ 30,4 bilhões (43,9% do total desembolsado) foram para investimentos em infraestrutura, um crescimento de 13% em comparação com 2017. Na sequência, está o setor de agropecuária, com R$ 14,7 bilhões (21,2% do total desembolsado) e um crescimento de 2% frente ao ano anterior.

Os desembolsos para os segmentos industrial e de comércio e serviços corresponderam, respectivamente, a R$ 12,3 bilhões (17,8% do total) e R$ 11,9 bilhões (17,2% do total) — em ambos os casos, uma redução de 18% diante do ano anterior.

Regiões – Em 2018, o Centro-Oeste registrou o maior crescimento percentual nos desembolsos do BNDES. Para a região, foram liberados R$ 9,4 bilhões, valor 12% maior que em 2017. O número corresponde a 13,5% do total liberado pelo BNDES em 2018.

Já as aprovações para novas operações cresceram 70%, atingindo R$ 12 bilhões, influenciadas, sobretudo, pela aprovação do financiamento para o sistema de transmissão que irá conectar a Estação Conversora Xingu (PA) à Estação Conversora Terminal Rio (RJ) para escoamento da energia gerada pela Usina Hidrelétrica Belo Monte.

Para as demais regiões do País, os desembolsos do Banco distribuíram-se da seguinte forma: o Sudeste recebeu R$ 26,5 bilhões (38,2% do total); o Sul, R$ 17,96 bilhões (25,9%); o Nordeste, R$ 11,9 bilhões (17,2%); e o Norte, R$ 3,5 bilhões (5,1%). Em comparação com 2017, as liberações para as regiões Sul e Sudeste permaneceram estáveis, oscilando 1% e -1%, respectivamente. Para as regiões Norte e Nordeste, as variações foram de -8% e -16%.

As aprovações para as regiões Norte, Sul e Sudeste, por sua vez, tiveram os seguintes aumentos em comparação com o ano anterior: 270%, 29% e 17%, respectivamente. Quanto ao Nordeste, após um crescimento de 70% em 2017 frente a 2016, as aprovações variaram -9%.

MPMEs – As micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) receberam R$ 30,1 bilhões, ou 44,7% do total desembolsado pelo BNDES em 2018. O percentual para o segmento é o maior registrado na série histórica do Banco, e o montante corresponde a um aumento de 4% em comparação com o observado em 2017.

Mercado de capitais – Em 2018, por meio da BNDESPAR, o BNDES investiu R$ 412 milhões em fundos de crédito, com um efeito multiplicador de 3 — ou seja: para cada milhão do BNDES, foram aplicados R$ 3 milhões por outros investidores.

A atuação do Banco como investidor nesse tipo de fundo, em conjunto com investidores privados e instituições financeiras de desenvolvimento, visa estimular o segmento e aumentar o acesso de projetos de infraestrutura e de pequenas e médias empresas a outras formas financiamento via mercado de capitais.

Por BNDES.