As empresas que procurarem o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para adquirirem máquinas e equipamentos via Finame em 2019 terão a certeza de estarem adquirindo produtos inovadores.

É que o critério de credenciamento de novos fornecedores mudou e desde o final de 2018 substituiu o de nacionalização em valor e em peso pelos o que utilizam componentes de alta intensidade tecnológica. Também são levados em conta os gastos destas empresas com pesquisa, desenvolvimento ou inovação e o faturamento.

A Finame é uma linha de financiamento do BNDES para aquisição de máquinas e equipamentos novos de fabricação nacional por empresas que estejam credenciadas.

Segundo o BNDES, as mudanças realizadas “permitem uma visão de longo prazo, a nova metodologia é mais moderna, flexível e aderente à realidade industrial brasileira”.

A fabricante de Painéis Elétricos Engerey, com sede em Curitiba (PR), é uma das empresas que tiveram seus itens credenciados de acordo com a nova metodologia, estando apta a realizar a venda de equipamentos com financiamento.

“Todos os nossos painéis de baixa tensão estão credenciados para a venda via Finame. Priorizamos a utilização de componentes de última geração em nossos produtos, através de parcerias com os líderes do mercado mundial”, comenta Fábio Amaral, diretor da Engerey.

Segundo o diretor, é importante levar a garantia de um produto com qualidade e que possua tecnologia de ponta para a indústria brasileira. “E o Finame agora garante esta filtragem”, conclui Amaral.

Para produtos já cadastrados e que não seguem os novos critérios do Finame, mas que possuem um índice de nacionalização em valor entre 50% e 60%, foi dado um prazo para adequação, que vai até 31 de maio de 2019. Após essa data, tais produtos serão automaticamente excluídos do cadastro, caso o recredenciamento não tenha sido realizado.

Por F. Iniciativas com informações do Jornal do Oeste.