Governo de Goiás anuncia R$ 11,4 milhões em investimentos

17/09/2021

O Governo de Goiás lançou, nesta quarta-feira (15/09), três chamadas públicas que direcionam R$ 11,4 milhões em investimentos para projetos e pesquisas de apoio à inovação, ao empreendedorismo e à sustentabilidade. A iniciativa, anunciada no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, é viabilizada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) e parceiros. O propósito é apoiar ações que impulsionem o ambiente de inovação e desenvolvimento socioeconômico no Estado.

O recurso empenhado pelo Governo de Goiás alcança R$ 4,6 milhões. A parcela dos outros colaboradores é de R$ 6,8 milhões. As chamadas públicas lançadas compreendem os editais Programa Centelha II, voltado para fomento ao empreendedorismo inovador e geração de novos CNPJs; o de pesquisa para Conservação da Biodiversidade no Nordeste Goiano, em parceria com a Fundação Grupo Boticário; e o de fortalecimento das unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e promoção de projetos colaborativos com a indústria goiana, em parceria com a Embrapii. Os editais estão no site da Fapeg (www.fapeg.go.gov.br).

O secretário-geral de Governo, Adriano da Rocha Lima, que representou o governador Ronaldo Caiado no ato, destacou que atualmente no mundo corporativo é crescente a convergência entre meio ambiente, área social e  governança. “Se as grandes empresas não estiverem preocupadas com esses três eixos, não sobreviverão no mercado mundial”, ponderou. Neste contexto, ressaltou a contribuição das startups para a transformação de Goiás, do Brasil ou de qualquer país. “Das diversas que nascem, poucas conseguem ter sucesso; contudo, elas transformam a economia, gerando um valor agregado que o país e o Estado de Goiás precisam cada vez mais apostar”, frisou Adriano.

“Goiás tem uma posição diferenciada porque tem competência técnica de atender as demandas do setor empresarial e, com isso, acelera o processo de inovação”, afirmou o representante do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos César Pontes, o secretário de Empreendedorismo e Inovação, Paulo Cézar Rezende de Carvalho Alvim, que reforçou o compromisso do ministro em atender as demandas do Estado e salientou que Caiado foi um dos primeiros governadores que estiveram em conversas com a pasta, apresentando demandas. “Desde então, Goiás está na lista de prioridades”, ressaltou.

A ideia dos editais, segundo o presidente da Fapeg, Robson Vieira, é fomentar projetos que possam promover o desenvolvimento econômico e que também gerem um impacto social e ambiental. “Mobilizamos um conjunto de pessoas muito grande nesta temática de inovação, coordenado pelo Ministério de Ciência Tecnologia, Finep, CNPQ [Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico], fundações e pela comunidade. Além de ser bonito, realmente causa impacto”, acrescentou.

“Posso dizer que está sendo a semana da inovação no Estado”, afirmou o secretário de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), Marcio Cesar Pereira. “O que acontece hoje vai criar condição de muitas coisas surgirem após a chegada desses recursos. Vemos como é importante termos editais e programas de formação de pessoas para a Educação do futuro, conectados, criando empresas e tornando Goiás e o Brasil mais competitivos e inovadores”, complementou.

O deputado federal Virmondes Cruvinel Filho destacou que “Goiás é um Estado eclético, com diversidade regional e cultural”, o que justifica a necessidade de Estado, poderes constituídos, universidades e iniciativa privada desenvolverem parcerias com este mote, “a fim de avançar a pauta de pesquisa e ecossistemas de inovação de forma concreta, para destravar este momento da pandemia e fazer Goiás avançar rumo ao futuro”.

Editais

O Programa Centelha está na segunda edição e contemplará 50 projetos, o que representa 50 novos CNPJs. A iniciativa injetará R$ 4,65 milhões na economia goiana. Do montante, R$ 2 milhões são provenientes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), direcionados por meio da Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep); R$ 1 milhão da Fapeg e R$ 1,35 milhão do MCTI, via Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), além de R$300 mil para ações transversais (internas para promoção de edital, contratação de bolsista e outras iniciativas).

“O Centelha é uma porta de entrada, mas faz com que a gente consiga desenvolver uma cultura de inovação. Nós queremos que as empresas já nasçam com foco na inovação e tecnologia”, salientou o superintendente de Pesquisa Aplicada e Desenvolvimento tecnológico da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Marcelo Camargo. “Na primeira versão do programa, foram quase 16 mil ideias submetidas. É essa força interna que move as pessoas que vão mover o País e fazer com que a gente tenha uma pátria menos desigual. Que a inovação seja um vetor de combate aos grandes problemas no nosso país.”

O programa irá oferecer R$ 60 mil por empresa contemplada em forma de subvenção, isto é, não reembolsáveis, para ajudar os novos empreendedores a tirarem o negócio do papel. Também disponibilizará bolsas para que os empreendedores possam se dedicar ao desenvolvimento e implementação de seus projetos. O Centelha é executado pelo Governo do Estado, por meio da Fapeg, em parceria com o MCTI, Finep, CNPq, Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e Fundação Certi.

Foi lançado também o edital para Conservação da Natureza no Estado de Goiás. A medida é uma parceria do Governo de Goiás e Fundação Grupo Boticário para fomentar iniciativas e projetos de pesquisas científicas e tecnológicas que promovam a conservação da natureza na região Nordeste do Estado. O edital formaliza a primeira chamada de 2021 com prioridade para a produção de conhecimento e soluções com foco em prevenção e controle de incêndios, bem como o impacto das queimadas sobre a fauna; iniciativas que agreguem valor às cadeias de produtos nativos do Cerrado no Nordeste Goiano.

“O cerrado é um bioma extremamente significativo para o Brasil e está no foco estratégico da Fundação O Boticário. Com parcerias como esta, vamos contribuir para a região, com 8 mil hectares de área para a conservação da biodiversidade”, frisou o diretor de Relações Institucionais da Fundação Boticário, Ike Weber.

O prazo para submissão das propostas segue até o dia 4 de outubro, com um ticket médio de R$ 180 mil para as selecionadas. Os projetos terão duração mínima de 12 meses e máxima de 24, a partir da assinatura do Termo de Outorga junto a uma das fundações. Ao todo será R$ 1 milhão em investimentos, com contrapartidas iguais entre a Fapeg e Grupo Boticário. Mais R$ 1 milhão em recursos estão previstos até 2022, para custeio e bolsas.

O terceiro edital lançado é voltado para as unidades vinculadas à Embrapii com duas linhas de fomento e investimento total de R$ 4,75 milhões. “O foco é gerar inovação, demandada pelas empresas do Estado, usando infraestrutura de ponta, com pessoal extremamente qualificado”, salientou o diretor de Planejamento e Relações Institucionais da Embrapii, Igor Manhães Nazareth. “Tem toda uma preocupação com a descarbonização, com desenvolvimento de tecnologias para geração e armazenamento de energia.”

A primeira tem como foco promover propostas para o fortalecimento das competências das Unidades Embrapii credenciadas e sediadas no Centro de Excelência em Inteligência Artificial (Ceia) do Estado de Goiás, Instituto Federal de Goiás (IFG) e Instituto Federal Goiano (IFGoiano) nas áreas em que atuam. A segunda frente contemplada é voltada para a execução de projetos cooperativos com empresas parceiras localizadas em Goiás, para desenvolver inovações com alto potencial de aplicação no setor industrial. As áreas contempladas são geração e armazenamento de energia, mobilidade elétrica e agricultura 4.0, incluindo temáticas como fontes de energia renovável, produção e armazenamento de hidrogênio, armazenamento de energia elétrica (baterias lítio), de veículos elétricos autônomos (minifrota) e distribuição de energia (ponta a ponta) e de agricultura 4.0.

Também estiveram presentes a secretária de Estado Andrea Vulcanis (Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável); o reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira; diretor de Empreendedorismo Inovador do MCTI, Marcos Pinto; superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Goiás (Sebrae-GO), Antônio Carlos Lima Neto; diretor executivo do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (IFAG), Edson Alves Novais, representante do deputado federal José Mário Schreiner; reitor do Instituto Federal Goiano (IFGoiano), Elias de Pádua Monteiro; e os representantes Milca Severino (Pontifícia Universidade Católica de Goiás/PUC-GO), Paulo Francinete Júnior (Instituto Federal de Goiás/IFG) e Cristhyan Milazzo (Universidade Estadual de Goiás/UEG).

Fonte: Agência Cora Coralina de Notícia